Muralista mexicano Ernesto Ríos é um dos criadores do Piramidismo no mundo

O muralista nascido na mágica cidade de Mocorito Sinaloa, é um dos dois criadores do piramidismo no mundo.


Junto com o artista plástico equatoriano Gonzalo Tayo Silva Gotasi, criou o Piramidismo Cromático que se manifesta nas artes, o Piramidismo da Saúde que engloba alimentação, saúde e esportes e técnicas de cura através da energia e do Piramidismo Ecológico que se manifesta em qualquer projeto que visa restaurando, mantendo e limpando o planeta, a natureza e o ecossistema.

Ernesto Ríos e Gotasi são os pais do piramidismo, mas estão unidos por uma grande equipe que permitiu construir esta tendência que cresce rapidamente em todo o mundo.

O primeiro piramidismo já manifestado em várias partes do mundo está nas artes e principalmente nas artes visuais.

Tendo iniciado o MPM World Pyramid Movement, juntam-se a eles a mais importante Galeria Virtual e a mais vanguardista plataforma CAMBASS GALLERY e Arte New York criada pelo gênio da realidade virtuosa Edwin Salgado e o professor colombiano Diretor da CAMBASS GALLERY, plataformas que fizeram o piramidismo se espalhar por todo o mundo.

Posteriormente, o professor Cesar Rincón González inicia a convocação para a realização do maior mural da história em piramidismo cromático, que consiste na montagem de um mural mosaico composto por pinturas de 40 x 40 cm e 80 x 80 cm, itinerante e como a maioria dos artistas participantes do mundo em construção.

De imediato, o professor Mauricio Mayorga, que deu as primeiras ideias para a criação da plataforma CAMBASS GALLERY, se junta ao projeto do Piramidismo Ecológico por ter passado muitos anos trabalhando para limpar os mares, inventando formas de reciclar o lixo em suas obras e procurando por uma forma de evitar a contaminação.

Gotasi e Ríos, depois de fazer uma série de trabalhos como coautores onde as duas assinaturas aparecem em cada lado das obras, passaram a criar alunos, oficinas, escolas de piramidismo e a ter um representante do piramidismo em países como Porto Rico onde inicia a manifestação piramidista através da professora piramidista Sheila Rios, na Argentina iniciada por Margarita del Carmen Acuña, na Colômbia iniciada por Eliana Pedroza, em NEW York e Miami por Edwin Salgado e Carol Chacón, no Panamá Lena Caballero, na Europa Francisco Arroyo, no Brasil José Roberto , na África, Coréia e muitos outros países, obviamente, Ríos e Gotasi no México e Equador.

De 30 de outubro a 7 de novembro será realizado em Ambato, no Equador, o Primeiro Congresso Mundial de Piramidismo Cromático, terra natal do mestre Gotasi, no qual estarão presentes 10 palestrantes presenciais e 10 palestrantes virtuais graças ao apoio do departamento de cultura do Prefeito de Ambato e no âmbito das comemorações do bicentenário da independência do Equador.

Postar um comentário

0 Comentários