A falsa denúncia contra Fernando Ben em 2019

Em outubro de 2019, o programa Fantástico da Rede Globo de Televisão apresentou uma reportagem, que tinha como chamada: "suposto médium espírita é acusado de fraude". E desde então, o que restou, foi um silêncio aterrador na emissora sobre o direito de resposta do Fernando Ben e o resultado das investigações. Como o dever da imprensa é noticiar e percebendo a lacuna de informações que não foram repassadas ao público durante este período e mesmo durante a reportagem, decidimos trazer alguns fatos importantes para a devida elucidação desta notícia que se mostra tendenciosa contra o Fernando Ben:

* O Fernando Ben não é espírita (doutrina codificada por Allan Kardec no final do século XIX), já participou, mas, na ocasião da reportagem, já havia fundado a Filosofia de Fátima (Filosofia de vida ecumênica). Logo, apresentar o presidente da federação espírita brasileira para falar do mesmo, durante o programa, poderia ser interpretado como intolerância religiosa. O mesmo que chamar um padre para falar de um pastor da igreja evangélica. Bem como, pelo exposto, trata-se de uma informação equivocada. Inclusive, no vídeo completo da entrevista que o jornalista Luiz Petrit faz com Fernando Ben na Casa de Fátima. O Jornalista pergunta: Você é espírita Fernando? O que ele responde: Não. Mesmo assim, foi veiculada a reportagem associando o mesmo ao espiritismo. (A entrevista está no canal "A Filosofia de Fátima" no Youtube).


* A denúncia foi realizada por um ex-voluntário da Casa de Fátima (instituição sem fins lucrativos fundada por Fernando Ben), que foi a delegacia alegar que Fernando Ben tirava as informações para as Cartas de Fátima (atividade gratuita e de fé realizada na instituição) na internet e enriquecia de dinheiro advindo desta prática religiosa. Não foi a polícia que abriu a investigação. A polícia cumpriu a solicitação do ex-membro. Esta investigação durou mais de dois anos e nada foi encontrado de irregular. Tanto que em julho de 2021, a Juíza Simone de Faria Ferraz da vigésima terceira vara criminal, rejeitou a denúncia e solicitou o arquivamento do inquérito. Nem processo virou.


* Após o programa, Brita Brazil, atriz e escritora, movimentou na internet um abaixo-assinado para dar direito de resposta ao Fernando. Quase 16 mil pessoas assinaram o abaixo-assinado. Milhares de pessoas ligaram para a rede globo, mas, nunca houve uma resposta dela.


* O programa apresentou Guilherme Velho, como pesquisador convidado. Contudo, até a presente matéria, não localizamos qualquer artigo ou pesquisa publicada por ele. E com uma busca fácil no google, localizamos dois processos do Guilherme contra o Fernando Ben antes da matéria, que não foram aceitos pelo Juiz. Ou seja, sua participação no programa não parece ausente de interesse contra o Fernando Ben. Será que a Globo não viu isso?



Para compreender as consequências desta matéria, convidamos Fernando Ben para responder a algumas perguntas.


- Fernando, está fazendo quase três anos que o fantástico veiculou a matéria com uma acusação contra você. O que mudou desde então?

- Dei todas as explicações as autoridades responsáveis. Nunca parei de realizar as cartas de Fátima, bem como, nunca parei de tentar ajudar as pessoas na Filosofia de Fátima. Publiquei 26 livros no campo da fé, todos gratuitos no site da Casa de Fátima. Me formei em Psicologia, fiz uma pós-graduação em Saúde Pública e entrei no Mestrado de Psicologia na UERJ. Consegui publicar 5 artigos científicos e um resumo em congresso. Cuidei da minha família, estive com meus amigos. Eu continuei.


- Pela sua resposta parece que não sofreu com esta matéria...

- Pelo contrário, sofri muito! Principalmente porque esta matéria foi no período das matérias contra o João de Deus. Muita gente associou uma coisa a outra. Perdi emprego, sofri perseguições públicas. Mas, a questão é que, com a ajuda dos amigos, membros da Filosofia de Fátima, minha família, apesar de toda dificuldade, continuei. E estou privilegiando falar do bem conquistado. O mal sempre existirá, deixei de dar atenção a ele.


- No ano de 2020, você se candidatou a vereador na cidade do Rio de Janeiro. Fez por causa da matéria?

- A princípio, fiz para ajudar. Me senti impotente com a repercussão negativa da matéria. Acredito que a política possa realmente ajudar pessoas que precisam. Não passei e fiquei como suplente. E percebi, que não foi uma boa escolha para o momento.

Fizeram um mal, fizeram uma falsa denúncia. E a resposta teria que ser apenas nas minhas ações e bem praticado. E aprendi que não sabia nada de política, só estava bem-intencionado e isso não é suficiente. Passei a estudar sobre o assunto e prefiro continuar ajudando as pessoas do jeito que estou fazendo. No campo profissional com a Psicologia e no campo da fé, com a Filosofia de Fátima. Espero que pessoas boas e preparadas se candidatem, ganhem espaço lá dentro. Vou por enquanto, trabalhando na micropolítica, ajudando os que chegarem na Casa de Fátima.


- Na matéria, informa que você processava aqueles que te criticavam...

- Eu abri um processo contra duas pessoas, uma delas foi a que fez a denúncia (este processo foi antes da denúncia) e uma outra pessoa que agia me difamando na internet. Vi que pararam de realizar essas práticas e os perdoei, cancelando o processo. Essa foi uma narrativa tão fraca quanto as acusações realizadas.


- Você chegou a sair do bairro onde mora?

- Nunca. Moro em Sepetiba, região periférica na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. 


- O que pretende fazer em face das consequências da matéria?

- Pedir a Deus que a verdade ensine aos que me julgaram por uma mentira, me ajude a estar cada vez mais fortalecido contra a maldade humana. E esperar, para quem sabe, a rede globo ou outra grande emissora de tv, possa veicular o resultado dos fatos e demonstrar que o compromisso da impressa nacional seja efetivamente com a verdade.


Diz ainda Fernando:

Ninguém é obrigado a acreditar nas Cartas de Fátima, ela é uma atividade de fé. 


Assim como, tem gente que não acredita em pais de santo, padres, pastores, etc. 

E quem não acredita, apenas não vá. Não participe. 


A atividade sempre foi gratuita e todas as doações em alimentos sempre foram repassadas aos necessitados.


O dinheiro da cantina na Casa de Fátima sempre foi administrado pela instituição e seus diretores, lugar que nunca ocupei.


Ser acusado falsamente de algo é ruim. Mas, ficar registrado na história que estas pessoas mentiram, acredito ser muito pior.


Entre as atividades sociais na Casa de Fátima em Sepetiba, listamos:


- Consultório odontológico gratuito.


- Cestas básicas (para os necessitados no bairro e diagnosticados com tuberculose e atendidos na clínica da familia do bairro).


- Doação de roupas usadas.


- Cursos profissionalizantes.


- Entrega de pães aos necessitados.


- Ginástica para a terceira idade na Praça pública.


A quem interessa está falsa acusação?


Site da instituição: www.casadefatima.org


Fonte: Assessoria de Imprensa da Casa de Fátima

Fotos: Thais Ben


 


Postagem Anterior Próxima Postagem